SOCIOEDUCADORES EM LUTA DE OLHO NA CAMPANHA SALARIAL NÃO ACEITAM RETIRADA DE DIREITOS, DECIDEM POR ESTADO DE GREVE E DEFINARÃO OS RUMOS DA LUTA EM ASSEMBLEIA DIA 15 DE JUNHO

by Juan Castelo

SOCIOEDUCADORES EM LUTA DE OLHO NA CAMPANHA SALARIAL NÃO ACEITAM RETIRADA DE DIREITOS, DECIDEM POR ESTADO DE GREVE E DEFINARÃO OS RUMOS DA LUTA EM ASSEMBLEIA DIA 15 DE JUNHO

A categoria socioeducativa do estado de São Paulo aceitou a proposta do TRT e suspendeu o início da greve momentaneamente. Os servidores e servidoras se reuniram em assembleia na noite do dia 03 de junho e 74% dos presentes aceitaram a proposta do TRT que inclui: a) a suspensão do Comunicado DRH 35/2021, correspondente ao não fornecimento de vale refeição; b) o comprometimento da Fundação CASA em consultar a viabilização de recomposição salarial do período que envolve a data-base (1º de março de 2020 a 28 de fevereiro de 2021) para aplicação a partir de 1º de janeiro de 2022; c) comprometimento da Fundação CASA em prorrogar todas as cláusulas sociais até a data-base de 1º de março de 2022.

 

A decisão da categoria viabilizou a audiência com o TRT para o dia 15/06/2021, terça-feira, às 10h. Assim sendo, SITSESP e Fundação CASA permanecem em negociação coletiva, agora com a intermediação do Tribunal.

 

A categoria demostrou disposição de luta e organização, em questão de poucas horas se movimentou para participar em peso da assembleia que teve a participação de mais de 600 socioeducadores. A categoria socioeducativa não tem nenhuma confiança na executiva da Fundação CASA, mas, de forma inteligente, deu um passo para demostrar ao Tribunal Regional do Trabalho que a categoria quer negociar sim, mas a negociação deve necessariamente valorizar os profissionais do sistema socioeducativo. Qualquer movimentação por parte da Fundação CASA que retire direitos os servidores e servidoras, mais do que nunca, estão dispostos a realizar uma greve “monstro” que coloque para fora a atual gestão da Fundação CASA e conquiste na luta direitos, saúde e segurança para todos e todas do sistema socioeducativo.

NENHUM DIREITO A MENOS!
Valorização, saúde e segurança!

Leia Também

Deixe um Comentário